Doença de Pyronie - Curvatura Peniana Adquirida

Principalmente, nesta época da vida, após os 40, cerca de 9% dos homens refere que o pênis começa a entortar, é a chamada Doença de Peyronie.

A tortuosidade peniana tem este nome em homenagem ao cirurgião que primeiro descreveu esta doença, François de La Peyronie (médico do Rei Luis XIV da França).

A Doença de Peyronie é uma desordem comum que, geralmente, se apresenta com dor peniana, curvatura, placa palpável e disfunção erétil

Pênis Torto – hipótese dos microtraumatismos

A razão e como inicia esta doença ainda não é totalmente compreendida pelos médicos, porém algumas explicações parecem indicar uma causa traumática.

Provalvemente, justamente nesta idade, o pênis não tem mais aquela rigidez de quando mais jovem e a penetração com o pênis não 100% rígido poderia favorecer pequenas “dobras” internas, microtraumatismos, que favoreceriam pequenos hematomas por dentro.A cicatrização, mesmo que microscópica destes micro-hematomas pode resultar nestes homens em áreas endurecidas que não possuem a mesma elasticidade que outrora, resultando numa tortuosidade quando o pênis fica ereto e numa “placa” endurecida quando flácido.

Certamente esta hipótese funciona associada a outros fatores predisponentes, como algumas doenças reumatológicas, auto-imunes, genéticas e de cicatrização anormal e uso de alguns remédios.

Nódulo no pênis


Estes nódulos abaixo da pele, cujo nome correto é placa fibrosa, podem ser associados ou não a dor, principalmente na fase inicial da doença que pode levar até 1 ano e meio até 2 anos para estabilizar.

Rx demonstrando placas calcificadas no pênis

E é por esta razão que o andrologista pode optar por observar inicialmente. Os pacientes devem procurar um bom andrologista para avaliação, já que muitos homens têm receio da placa endurecida ser um tumor por exemplo. A resolução espontânea, sem nenhum tratamento pode ocorrer em menos de 15% dos casos. Ultrassom, Rx e medicações que favorecem a ereção são medidas tomadas para melhor avaliação do ângulo e da placa fibrosa.

A Doença de Peyronie pode ser frustrante para um casal, causando estresse emocional entre homem e sua companheira, causando relação com dor tanto para o homem quanto para a mulher, e, ás vezes, até impossibilitar a penetração dependendo do ângulo que se forma. Quanto atinge um formato de gancho até dificuldade para urinar pode surgir. Além de diminuir o tamanho do pênis em alguns centímetros. Em 20% dos casos a doença pode causar impotência.

Em alguns casos o pênis pode afinar da placa em direção a glande (cabeça do pênis) e dificultar a circulação sanguínea, resultando em uma área mais fria na ponta.


CURVATURA VENTRAL (necessitando isolar a uretra e o feixe nervoso para correção)

PREVENÇÃO

Não se conhece um tipo de prevenção. Pequenos traumas durante o ato sexual podem iniciar o processo, mas certamente não explicam todos os casos

TRATAMENTOS

Como a evolução da doença pode variar de homem para homem, um período inicial de acompanhamento pode ser recomendado pelo seu andrologista.

Alguns tratamentos, tanto não-cirúrgicos quanto cirúrgicos podem resultar em piora da impotência.

Muitos tratamentos com comprimidos, injeções, vitaminas e até o tratamento com ondas de choque foram e são descritos. Porém, quando testados com maior rigor científico, poucos benefícios ficaram comprovados.

VITAMINA E - O papel de vitaminas como Vitamina E apesar de ser muito utilizada, e ser de baixo custo, carece de estudos mais objetivos e em altas doses pode ser prejudicial a saúde.

COLCHICINA e POTABA - Outras medicações que atuam na cicatrização e no depósito de colágeno têm sido utilizadas com resultados que diferem de pesquisador para pesquisador, por vezes não convincentes.

Incisão em Y ou H da placa para posterior enxertia